GOVERNADOR MARCELO MIRANDA RECEBE PRESIDENTES DE SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES.

0
Print Friendly, PDF & Email

Ontem, dia 23/02, às 12 horas, o Governador Marcelo Miranda recebeu em audiência no Palácio Araguaia, os Presidentes de Sindicatos e Associações que representam os servidores públicos e os militares. Na ocasião,  após ouvir alguns representantes de Entidades sobres as medidas que impactaram direitos e benefícios dos servidores, o Governador  Marcelo Miranda  falou sobre as dificuldades financeira que o Estado enfrenta no momento e disse que não tem a intenção de retirar direitos conquistado legalmente de nenhum servidor.

E que seu Governo está trabalhando para recuperar a normalidade orçamentária e financeira do Estado e atender as demandas da administração  pública, e em especial, dos servidores.

 Pediu a compreensão de todos e disse o canal de negociação através de seus secretários estará sempre aberto para dialogar com todas as categorias de servidores, até que seja possível encontrar uma solução.

As 18 horas, os presidentes de Associações  militares da Capital e interior, juntamente com os Comandantes Geral da PMTO e BMTO, bem como dos respectivos Cefes de EM,   foram recebidos na SECAD pelos Secretários que compõem a Comissão de Análise de Impacto de Pessoal sobro  Recursos financeiros do Estado.

Na ocasião foi entregue pelos militares a Comissão do Governo, um documento assinado pelos Comandantes da PM/BM-TO e pelos presidentes de associações que integram a comissão, solicitando como proposta de negociação a manutenção integral da tabela de Subsídio aprovadas pelas Lei 2.921 do CBM e Lei 2.922 da PMTO para o exercício de 2015.

Após os vários argumentos apresentados, a Comissão do Governo mais uma vez reiterou as dificuldades financeira do momento e disse que iria estudar a proposta e tão logo ouvisse as demais categorias de servidores, iriam apresentar uma contra proposta, mas tudo conforme a capacidade orçamentária e financeira do Estado e observando os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal. Porém, não definiu data.

Diante do exposto, e enquanto não se tem uma resposta do Governo, a ASMIR juntamente com as demais associações militares através de suas assessorias jurídicas preparam e nos próximos dias vão ajuizar várias ações judiciais, conforme  já noticiado neste site no dia 20/02.