POLICIAIS SE REÚNEM EM SEMINÁRIO DE DIREITO MILITAR

27
Print Friendly, PDF & Email

Foi realizado nesta quinta-feira, 14, o I Seminário de Direito Militar promovido pela Associação dos Militares da Reserva, Reformados e Pensionistas do Estado do Tocantins (Asmir/TO), juntamente com a Associação dos Oficiais Militares do Estado do Tocantins  (AOMETO), Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Estado do Tocantins (ASSPMETO), Associação dos Bombeiros Militares do Estado do Tocantins (ABM/TO) e parceiros . O evento, que aconteceu no auditório do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), recebeu policiais militares de todo o Estado, juristas e estudantes de direito.

O objetivo do seminário foi estudar o Direito Militar ligado ao exercício da função e a debates do Congresso Nacional no que tangem projetos referentes às reformas dos códigos Penal e Processo Penal Militar.

Para fomentar as discussões a respeito do Direito Militar, foi ministrada palestra pelo professor de Direito Militar e procurador militar da União, Jorge César de Assis. Segundo ele, a preocupação e disposição da Asmir e parceiros em levar informações aos militares refletem diretamente na qualidade dos serviços prestados para a comunidade. “Os direitos dos militares não podem ser desprezados. Eventos como esse demonstra, o interesse em desenvolver e valorizar os profissionais”, afirmou.

De acordo com o presidente da Asmir, capitão Raimundo Sulino, o seminário foi positivo e recebeu público além do esperado. “Muitos militares não mediram esforços para participar do seminário, pois sabiam da importância que o desenvolvimento dessas competências traria para a sua rotina. Saímos do nosso I Seminário de Direito Militar satisfeitos com a expressiva participação do público e garantimos mais eventos que possam agregar conhecimento aos nossos filiados e colegas, pois acreditamos que, com o militar capacitado, haverá a melhoria nos serviços prestados para a sociedade”, disse.

Membro da Fundação Pró-Tocantins, a major Carmem Rosa ressaltou: “Temos o costume de dizer que a arma do policial militar é a caneta. Aqui, pudemos comprovar o sentido dessa afirmação. Parabenizo todos os parceiros que tiveram a preocupação e interesse em fazer essas informações chegarem ao nosso conhecimento. Foi um evento muito valoroso”, frisou.