ASMIR critica bônus salarial de 40% a servidores seletos, poucos dias após negação da data-base ao funcionalismo

276
Print Friendly, PDF & Email

A Associação dos Militares da Reserva, Reformados da Ativa e seus Pensionistas do Tocantins (ASMIR) questiona a Medida Provisória do Governo do Estado que concede bônus salarial de 40% do vencimento para o 1° e 2° escalões do Executivo. Segundo o presidente da Asmir, Raimundo Sulino, todos os servidores merecem o mesmo tratamento.

De acordo com ele, não haverá aumento de produtividade se os servidores estivem desmotivados. “Até porque se o governo quer aumento de produtividade deve valorizar, respeitar e pagar os direitos dos servidores, pois são estes que trabalham e realmente melhoram o atendimento e os serviços prestados aos cidadãos. Com servidores desmotivados e tendo seus direitos desrespeitados, jamais vai acontecer aumento de produtividade”, analisa Sulino.  

Ainda segundo o presidente da Asmir, o benefício de 40%, por produtividade, contemplando apenas secretários, secretários-executivos, presidentes, vice-presidentes e superintendentes causa estranheza e contradiz o que o Governo vem utilizando para justificar o “pífio reajuste de 1% de data base, quando o devido seria de 5,0747 %”.

A Associação estuda medidas judiciais cabíveis, por meio de sua assessoria jurídica. “Continuamos defendendo os direitos dos servidores, especialmente de nossos associados”, defende o presidente.