O presidente da Asmir, Capitão PM R/R Raimundo Sulino se reuniu com os membros da Diretoria da entidade nesta quarta-feira, 10, para comunicar oficialmente que está se desligando da Associação.   O presidente se afasta temporariamente da Asmir para se desincompatibilizar do cargo, uma vez que nas eleições de dois de Outubro irá disputar uma cadeira na Câmara Federal para representar o Tocantins. Participaram da reunião o presidente Capitão Sulino, o vice-presidente coronel Joaidson Torres de Albuquerque e todos os membros do Conselho Fiscal.

Durante a reunião, Capitão Sulino agradeceu aos atuais diretores pela parceria que iniciou em 2019 até agora. “O trabalho com os diretores foi muito bom, embora tenhamos passado por dificuldades imensas impostas pelo período atípico que vivemos diante da pandemia do coronavírus e ainda com o agravante de uma crise econômica. Mas, com muita determinação, responsabilidade e coragem conseguimos superar muitos desafios”, declarou o então presidente.

O presidente Capitão Sulino lembrou que o trabalho com a diretoria e os associados, foi positivo. “Construímos um legado muito importante para os associados que representamos. Fizemos uma grande expansão do nosso Hotel, com a construção do Prédio Anexo II, uma sede totalmente renovada. Conseguimos ao longo desses anos garantir os direitos que estavam ameaçados e agora estamos deixando diversas ações de interesse dos nossos sócios, bem encaminhadas”, afirmou.

A Asmir continuará em boas mãos sob o comando do o vice- presidente coronel Joaidson Torres de Albuquerque.

HISTÓRIA

O Capitão PM R/R Raimundo Sulino é sócio fundador da Asmir e em 2002 foi eleito o primeiro presidente da entidade.

Na sua fundação em 2002, a associação foi criada com o nome de ASMIPETO – Associação dos Militares Inativos e Pensionistas da Polícia Militar do Estado do Tocantins e em 2006 foi denominada Asmir. A entidade surge com vários objetivos lutar pela melhoria de salários dos militares ativos e inativos e pensionistas e defender os direitos dos sócios e 20 anos depois, nós conseguimos restabelecer muitos direitos e assim a associação continuará firme na busca e na manutenção dos direitos e prerrogativas dos associados e dos militares tocantinenses.

 

 

Ascom Asmir