Palmas, a capital mais nova do país completa 33 anos nesta sexta-feira, dia 20. Para muitos moradores é fácil expressar a satisfação de viver aqui, cidade que concentra povos de todas as regiões do Brasil e do mundo.

Para o capitão Sulino, presidente da Asmir, viver em Palmas foi uma escolha.

“Antes da criação do Tocantins eu era lotado no Terceiro Batalhão da Polícia Militar de Goiás sediado em Araguaína então norte Goiano e trabalhava em Guaraí e região. Com a divisão territorial optei pelo Tocantins. Naquela época, as dificuldades de moradia exigiam o deslocamento diário dos funcionários públicos e militares  que trabalhavam em Palmas para suas cidades de origem,(Miracema, Porto Nacional e Paraíso).

Já se passaram mais de três décadas em Palmas e Sulino declara que tem vários sentimentos pela capital, terra natal dos filhos. Ele explica que o carinho por Palmas surgiu bem no comecinho da construção da capital, quando ele era sargento da Polícia  Militar, e foi designado a ser um dos guardiões da área escolhida pelo então governador Siqueira Campos, para a construção de Palmas.

“Esposa Noraney de Fátima Sulino e filhos Thiago Sulino e Rafael Sulino. Em Palmas, eu e minha família vivemos, trabalhamos e somos felizes. Parabéns Palmas”, declarou.